Saúde

  • 27/11/2017

    Contraf-CUT e Fenaban voltam a debater combate ao assédio moral

    Mesa bipartite de acompanhamento da cláusula de prevenção de conflitos (58) se reúne nesta segunda

    A Comissão Bipartite de Acompanhamento da Cláusula de Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho, composta por representantes dos bancos e dos bancários, prevista na cláusula 58 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, se reúne nesta segunda-feira (27) para dar continuidade às negociações.

    “Este processo negocial entre os representantes dos trabalhadores e dos bancos é de extrema importância. Apesar de existirem divergências de posições, as reuniões são fundamentais para fortalecermos e aprimorarmos o instrumento de prevenção do assédio moral”, afirmou Walcir Previtale, secretário de Saúde da confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e coordenador da mesa de negociações.

    Como propostas para a melhoria do instrumento a Contraf-CUT propõe a redução do prazo de apuração das denúncias dos atuais 45 dias para 30 dias; a estratificação de todas as denúncias que transitam pelos canais internos dos bancos; e a avaliação dos critérios de apuração utilizado pelos bancos.

    “Queremos tornar o instrumento mais efetivo, transformando os ambientes de trabalho em ambientes saudáveis, livre do assédio moral, adoecimentos e acidentes de trabalhos. Não queremos apenas remediar os casos que são constatados, queremos prevenir que eles aconteçam”, disse o secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT.

    A reunião acontece a partir das 15h, na sede da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), na avenida Brigadeiro Faria Lima, 1.485, 12º andar, em São Paulo.

    Leia também:
    > Coletivo Nacional de Saúde do Trabalhador discute medidas para prevenção de conflitos no ambiente de trabalho com Fenaban
    > Reunião sobre combate ao assédio moral termina sem respostas plausíveis para trabalhadores

    Contraf-CUT