Financiários

  • 12/06/2018

    Financiários: Negociação garante inflação e ultratividade da CCT

    Direitos em vigor serão mantidos até encerramento da negociação; aumento real começa a ser discutido


    Foto: Contraf-CUT

    Os financiários já têm garantida a reposição da inflação em seus salários e todas as cláusulas econômicas. Na segunda rodada de negociação, realizada nesta terça-feira, 12 de junho, entre a Fenacrefi e representantes dos empregados, o reajuste de 1,76% pelo INPC foi garantido. Nas próximas rodadas, será debatido o aumento real para salários e demais verbas. Os trabalhadores querem a reposição total do INPC mais 5% em razão dos altos resultados das financeiras no primeiro semestre.

    “Isso é muito importante. Saímos da mesa com a garantia da reposição da inflação e a partir de agora vamos negociar aumento real para salários, vales, auxílios e PLR”, reforça o coordenador da mesa, Jair Alves, diretor da Contraf-CUT. 
    Ficou acertado, ainda, o compromisso de manter as regras da convenção anterior durante a negociação, sem nenhum prejuízo aos trabalhadores.

    Trabalho aos fins de semana
    Também foi debatida uma nova cláusula para a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) para abranger os trabalhadores que concedem créditos nos finais de semana em lojas e concessionárias. Segundo os representantes patronal, são 54 as empresas que têm financeiras e seriam abrangidas. 
    A proposta dos representantes dos trabalhadores é ampliar os direitos de todos os empregados que prestam serviços financeiros, inclusive nos finais de semana. “Só vamos aceitar se esses trabalhadores tiverem direito a todas as conquistas do acordo dos financiários e devidamente remunerados pelo trabalho aos sábados e domingos e feriados. Agora queremos saber quais lojas, quem são esses trabalhadores e onde estão”, avisa Jair.

    "Sabemos da realidade dos financiários e também que é necessário regularizar, da melhor forma possível, os dias trabalhados aos sábados, domingos e feriados. Porém, precisamos fazer isso coletivamente e com muita cautela, pois está em jogo muito mais que a remuneração. É preciso considerar a saúde, a vida social e o convívio familiar dos trabalhadores. 
    Faremos um estudo sobre o setor que necessita ter expediente ao final de semana, para avançar nesta questão", explica Katlin Salles, secretária do Ramo Financeiro do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região.

    "Por outro lado, iremos possibilitar que as instituições que estão com trabalhadores fora da categoria, contratados como terceiros ou em categorias diferentes por trabalhar no final de semana, passem a ser reconhecido como financiários com todos os direitos da CCT", acrescenta a dirigente sindical.

    PLR
    A mesa também debateu ajustes na cláusula da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), para contemplar questões fiscais, de forma a abranger o exercício do ano. Não haverá impactos nos valores a serem pagos aos trabalhadores.

    Em função dos jogos da Copa do Mundo, a próxima rodada de negociação será realizada na primeira semana de julho.

    SEEB Curitiba, com informações da Contraf-CUT