Geral

  • 07/08/2018

    Fenaban apresenta proposta incompleta e não garante direitos

    Comando Nacional indica rejeição da proposta na assembleia desta quarta-feira (08).

    Foto: Jailton Garcia/Contraf-CUT

    Reposição da inflação, medida pelo INPC, para salários, pisos e demais verbas, como PLR, VA, VR e auxílio-creche/babá. Esta foi a proposta apresentada por um dos setores mais lucrativos do país aos trabalhadores, na sétima rodada de negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2018, realizada nesta terça-feira, 07 de agosto, em São Paulo. Além disso, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) não trouxe respostas a outras reivindicações da categoria, como manutenção dos empregos e a não adoção das novas formas de contratação previstas na Reforma Trabalhista.

    "Mesmo após discutirmos todas as reivindicações da categoria, em cinco rodadas de negociação, os bancos vieram com uma proposta incompleta, sem garantia de emprego ou sequer manutenção dos direitos conquistados ao longo de anos. Já avisamos na mesa que o que foi proposto não contempla os bancários e que, diante de lucros exorbitantes, os bancos podem avançar na proposta", resume o presidente do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região e integrante do Comando Nacional, Elias Jordão. 

    Leia mais:

    Acompanhe as negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2018


    Além de não atenderem às reivindicações, a Fenaban ainda ameaçou a categoria com a retirada da cláusula sobre dias não trabalhados (dias paradas em greve). Pela proposta dos bancos, o acordo seria de quatro anos, com reposição da inflação a cada data base da categoria (01 de setembro). Para este ano, o reajuste seria de 3,90% (projeção do INPC entre 01 de setembro de 2017 e 31 de agosto de 2018). O Comando adiantou que acordo de quatro anos só com garantia de empregos.


    A secretária-geral do Sindicato Karla Huning esteve presente na rodada de negociação e avalia que a categoria pode conquistar e merece muito mais que apenas a reposição da inflação. "Vamos permanecer mobilizados, participar da assembleia e aguardar que na próxima rodada sejam atendidas nossas expectativas de manutenção de direitos, ganho real e garantia de emprego", afirma Karla. 

    A próxima reunião de negociação ficou marcada para o dia 17 de agosto.

    Todos na assembleia
    A proposta apresentada pela Fenaban será apreciada pelos bancários de Curitiba e região nesta quarta-feira, 08 de agosto, a partir das 18h30, no Espaço Cultural e Esportivo. Na ocasião, a categoria também definirá sua participação no Dia do Basta, em 10 de agosto. O Comando Nacional dos Bancários indica a rejeição da proposta, por considerá-la insuficiente e incompleta.

    Leia mais:

    Em 08/08 tem assembleia de avaliação da proposta. Participe!


    Lucro dos bancos
    Em 2017, os cinco maiores bancos que atuam no país (Itaú, Bradesco, Santander, BB e Caixa), que empregam em torno de 90% da categoria, lucraram juntos R$ 77,4 bilhões, aumento de 33,5% em relação a 2016. Só no primeiro trimestre deste ano, eles já atingiram R$ 20,3 bi em lucro, 18,7% a mais do que no mesmo período de 2017.
    SEEB Curitiba, com informações do SP Bancários