Geral

  • 09/08/2018

    Bancários de Curitiba e região dizem NÃO à proposta dos bancos

    Assembleia também aprovou participação da categoria no Dia do Basta, em 10 de agosto.

    Fotos: SEEB Curitiba

    Reunidos em assembleia na noite de ontem, 08 de agostos, mais de 130 trabalhadores da base do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região disseram um sonoro 'não' à proposta apresentada no dia 07 pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Também foi aprovada a participação da categoria no Dia do Basta, em 10 de agosto, quando serão realizadas mobilizações em todo o Brasil.



    Proposta inaceitável
    Após várias reuniões, no último dia 07 os bancos apresentaram ao Comando Nacional dos Bancários um proposta incompleta e sem a garantia de direitos: reposição da inflação, medida pelo INPC, para salários, pisos e demais verbas, como PLR, VA, VR e auxílio-creche/babá, e mais nada. A Fenaban também manifestou interesse em assinar um acordo com validade de 4 anos e deixou agendada mais uma rodada de negociação para o dia 17 de agosto.

    Saiba mais:

    Fenaban apresenta proposta incompleta e não garante direitos


    Dia do Basta  
    O Brasil vive uma de suas mais profundas crises. Falta emprego para 27,7 milhões de brasileiros e a taxa de desemprego está em 24,7% no primeiro trimestre de 2018. Diante desses números, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), juntamente com as demais centrais sindicais, está convocando todos os trabalhadores para o Dia do Basta, em 10 de agosto. Serão realizadas paralisações, atrasos de turnos e atos nos locais de trabalho e nas praças públicas de grande circulação.

    Saiba mais:
    Dia do Basta terá ato em frente à Fiep em Curitiba

    Todos por tudo
    Diante do descaso da Fenaban, o presidente do Sindicato conclama todos os bancários à mobilização: "Não podemos aceitar que um setor que lucra tanto faça uma proposta aos seus trabalhadores sem garantia de emprego ou sequer a manutenção dos direitos conquistados ao longo de anos. Precisamos estar unidos e mobilizados, para mostrar aos bancos nossa insatisfação", resume Elias Jordão. 
    Renata Ortega SEEB Curitiba