Geral

  • 10/08/2018

    Contraf-CUT marca presença na 116ª CCASP

    Na reunião, a Polícia Federal apresentou as estatísticas do primeiro semestre de 2018.



    A Polícia Federal apresentou as estatísticas dos processos punitivos julgados no primeiro semestre deste ano, durante a reunião da 116ª CCASP, realizada nesta quinta-feira, 09 de agosto, em Brasília. Elias Jordão, presidente do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região e representante da Contaf-CUT, afirmou que estes dados mostram mais um ataque à classe trabalhadora após o golpe. “Desde 2016, houve um gradativo decréscimo no número de processos punitivos, bem como a diminuição das multas aplicadas ao setor empresarial, como à Federação Brasileiro dos Bancos (Febraban).”

    A Delegacia de Controle de Segurança Privada (Delesp) abordou o andamento legislativo do Estatuto da Segurança Privada, que já transitou por todas as esferas possíveis, mas encontra-se parado no Senado Federal na mesa do presidente da casa. O processo está com a pauta de caráter de urgência, não pode mais ser modificado nem alterado, e está aguardando votação.

    “Entendemos que Estatuto já avançou em várias questões, não está como acreditávamos que deveria, porém, é o que temos, o que já é superior a Legislação ultrapassada (Lei 7.102/83). O objetivo agora é a Delesp efetivar uma força tarefa para ir ao Senado Federal em nome da CCASP, solicitar que a presidência do órgão coloque em votação o Estatuto”, explicou Elias.

    Outras pautas de interesse específico dos trabalhadores vigilantes e de transporte de numerários também foram debatidas na CCASP. 
    Foi solicitado à Delesp um posicionamento o termino do Grupo de Trabalho de Novas Tecnologias, de responsabilidade da Contraf-CUT, que finalizou os debates encaminhando o relatório final para a Delesp-Dicof.

    “Nós indicamos como mecanismo viável a instalação do “cofre inteligente” para evitar principalmente o crime da extorsão mediante sequestro (sapatinho), que aflige a categoria bancária, vítima desta modalidade de ação violenta. A Contraf-CUT destaca a importância da proteção a vida em detrimento da proteção ao patrimônio. Estamos aguardando a resposta sobre nossa demanda”, disse o representante da Confederação.

    Contraf-CUT