Geral

  • 14/09/2018

    Sindicatos do Paraná avaliam Campanha Nacional 2018

    Evento contou com a participação da presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira.


    Foto: SEEB Curitiba

    Representantes dos Sindicatos de Bancários filiados à Fetec-CUT-PR realizaram, no dia 13 de setembro, uma reunião em Curitiba para avaliar a Campanha Nacional dos Bancários 2018 e analisar a conjuntura neste período que precede as Eleições 2018. O evento contou com a participação da presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, do presidente da Fetec-CUT-PR, Júnior César Dias, e com representantes das regionais Curitiba, Pactu e Vida Bancária. Já a análise de conjuntura pré-eleitoral foi realizada pelo advogado especialista em Direito do Trabalho Wilson Ramos Filho e o bancário e ex-deputado federal Ângelo Vanhoni.

    Mais uma vez, Juvandia destacou a importância da unidade entre os bancários de todo o Brasil na Campanha Nacional 2018 e a importância a manutenção de todos direitos, bem como o fortalecimento da organização da categoria. “A Reforma Trabalhista tornou a conjuntura mais difícil e impactou nossa negociação, mas não o nosso patrimônio construído por tantos anos: nossa CCT, da qual temos tanto orgulho e zelo”, destacou. “Os acordos assinados são exemplos de resistência. Conseguimos manter todos os direitos, que os bancos propuseram retirar ao longo das mesas de negociação, por dois anos, o que é fundamental diante do cenário de incertezas no País”, completou.

    As negociações com a Fenaban iniciaram em 13 de junho, com a entrega da minuta. Ao longo de 10 rodadas de debate intenso sobre as reivindicações da categoria, os bancos propuseram inclusive retirada de direitos, como o não pagamento integral da PLR para mulheres em licença-maternidade. Uma proposta final só veio no dia 25 de agosto, aprovada em assembleia em todo o País nos dias 29 e 30. “Esta foi uma das campanhas salariais mais difíceis das últimas décadas. Uma intensa negociação, nos exigiu estratégia e persistência para chegarmos ao limite de uma proposta aceitável”, relembrou Elias Jordão, presidente do Sindicato.

    “No atual cenário brasileiro adverso, em que a retirada de direitos é prerrogativa das elites que estão no Governo, os bancários com a sua força de mobilização e organização sindical conseguiram manter seus direitos e avançar na questão salarial, obtendo 1,31% de aumento real. Além disso, garantiram para 2019 mais 1% de ganho real”, destacou o dirigente. Vale lembrar o acordo assinado pelos bancários trará um impacto positivo de aproximadamente R$ 10 bilhões na economia brasileira até o final deste ano.

    A campanha terminou, mas a luta continua
    Durante a análise de conjuntura do período que precede as Eleições 2018, os representantes dos bancários debateram a importância do voto consciente, em candidatos comprometidos com a pauta da classe trabalhadora. "Daqui a alguns dias, os destinos do Brasil e dos nossos direitos enquanto trabalhadores estarão em nossas mãos. Independentemente de partido ou candidato, é nossa obrigação elegermos tanto para o mandatário do País quanto para o parlamento pessoas que tenham compromisso com a classe trabalhadora", acrescentou o presidente do Sindicato. "Caso contrário, toda nossa resistência e nossa luta em defesas dos direitos serão inócuas”, concluiu.

    “Com as eleições se aproximando, é fundamental que os bancários tenham consciência de que apenas os candidatos que tem compromisso com os trabalhadores serão legítimos representantes. Atualmente, o que temos no Congresso Nacional, em sua maioria, são representantes dos interesses dos patrões. Por isso, é necessário e urgente mudarmos essa realidade, para manter nossos direitos e assegurar possibilidade de avanços futuros”, resumiu o presidente da Fetec-CUT-PR, Júnior César Dias.

    SEEB Curitiba