Geral

  • 20/11/2018

    Desemprego entre os negros é maior do que a taxa nacional

    Desocupação de pardos e pretos, no terceiro trimestre, como classifica o IBGE, foi de 14,6% e 13,8%.
    Foto: Reprodução/Contraf-CUT

    A crise econômica, política e social no Brasil atingiu mais fortemente os trabalhadores e trabalhadoras negros, aumentando ainda mais a histórica desigualdade racial no mercado de trabalho do País, como mostra pesquisa divulgada no dia 14 de novembro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Em 2012, do total de 7,6 milhões de pessoas desempregadas no país, 59,1% eram negros e negras (48,9% pardos e 10,2% pretos, como denomina o IBGE) e 40,2% eram brancos. 
    No terceiro trimestre deste ano, o número de desempregados subiu para 12,5 milhões. Deste total, 64,2% eram negros e negras (52,2% pardos e 12% pretos). Já a participação dos brancos nesse contingente de desocupados reduziu para 34,7%.

    Ainda segundo o IBGE, a taxa de desocupação dos que se declararam brancos no terceiro trimestre de 2018 foi de 9,4%. Já a taxa dos pardos e pretos foi de 14,6% e 13,8%, respectivamente, superiores à taxa nacional de 11,9%. 
    No terceiro trimestre de 2018, os pardos e pretos passaram a representar 56,3% da população fora da força de trabalho, seguidos pelos brancos (42,5%).
    CUT