Geral

  • 06/12/2018

    Bancários se mobilizam em defesa dos bancos públicos

    Sindicato realizou ato em frente à agência Carlos Gomes da Caixa Econômica Federal.


    Fotos: SEEB Curitiba

    O Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região realizou um ato nesta quinta-feira, 06 de dezembro, em frente à Agência Carlos Gomes da Caixa Econômica Federal. A manifestação integrou o Dia Nacional de Lutas em Defesa dos Bancos Públicos, realizado em todo o País, conforme orientação do Comando Nacional dos Bancários, e protestou contra ameaças proferidas por representantes das direções dos bancos e membros de governos, que têm a intenção de fragilizar as empresas e vender seus ativos.

    Os dirigentes sindicais alertaram a população sobre as
    pretensões de desmantelamento e privatização das estatais, ressaltando que os bancos públicos são lucrativos e extremamente importantes para a sociedade. Programas governamentais essenciais como o ‘Bolsa Família’, o ‘Minha Casa, Minha Vida’, o Fies, o ProUni e o Pronaf correm o risco de deixar de existir e prejudicar de toda a sociedade caso as ameaças se concretizem. 



    Garantia de acesso aos serviços bancários
    Os bancos públicos também são os responsáveis pelo atendimento na maior parcela de municípios do País, sobretudo aqueles comumente considerados menos rentáveis. "Os bancos públicos são os mais eficientes em financiar o desenvolvimento do país e prestar diversos serviços que os bancos privados não prestam. Estão em locais que os privados não estão, alcançam pessoas e desenvolvem a economia de uma forma que os bancos privados não desenvolvem”, ressaltou Elias Jordão, presidente do Sindicato. 

    A Caixa Econômica Federal, que possuía as melhores taxas de juros e chegou a ser responsável por mais de 70% dos financiamentos habitacionais no país, hoje não concede crédito tão facilmente devido à falta de aportes do Tesouro e desde 2015, cortou mais de 15 postos de trabalho. 
    Situação semelhante vive o Banco do Brasil, que detêm aproximadamente 70% da carteira de crédito agrícola no país, mas teve 777 agências bancárias fechadas de 2015 a 2017. Tanto as agências da Caixa, quanto as do Banco do Brasil que são fechadas eram localizadas, normalmente, em bairros periféricos ou em pequenas cidades, onde havia apenas uma única agência bancária. 

    “Sem bancos públicos o Brasil fica mais pobre e com menos capacidade de atuar em defesa das pessoas e das pequenas e médias empresas. Perde toda a sociedade! O Dia Nacional de Luta tem objetivo de conscientizar e mobilizar bancários em defesa do País e em defesa do desenvolvimento através dos bancos públicos”, completou o dirigente sindical. 

    SEEB Curitiba, com informações da Contraf-CUT