Itaú

  • 27/10/2017

    Sindicato se reúne com Relações Sindicais do Itaú

    Dirigentes cobraram agilidade no atendimento às demandas dos trabalhadores.

    Foto: SEEB Curitiba

    Dirigentes do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região e da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (Fetec-CUT-PR) se reuniram, nesta quarta-feira, 25 de outubro, com os Relações Sindicais do Itaú, Marco Aurélio e Romualdo Garbos, no Espaço Cultural e Esportivo. Os representantes dos trabalhadores estavam cobrando a realização de tal reunião desde maio, para o restabelecimento do diálogo, mas o banco já havia marcado e desmarcado a data várias vezes.

    Inicialmente, o Sindicato lamentou o encerramento da unidade de Recursos Humanos (RH) de Curitiba, no último mês de agosto, com a demissão do responsável pela área. Com isso, muitos bancários ficaram desamparados, com dificuldades de relação com a direção do Itaú e sem ter a quem recorrer, uma vez que o 0800 não funciona na maioria das vezes.

    No entanto, a principal cobrança feita na reunião foi em relação ao descaso do banco com os trabalhadores afastados para tratamento de saúde. O Sindicato tem recebidos e acompanhado vários casos de falta de cadastramento, descontos indevidos, transferências para a região metropolitana e falta de acesso ao programa de retorno ao trabalho.

    Entre as demandas apresentadas, estiveram também o não cumprimento da Ação Civil Pública (ACP) que proíbe a demissão de bancários adoecidos pelo trabalho, o não cumprimento da CCT 2016-2018 em relação ao adiantamento emergencial e à PLR proporcional e a necessidade de melhorias no Plano de Saúde, devido ao alto índice de descredenciamento dos profissionais médicos e ao aumento considerável da contribuição.

    Por fim, os dirigentes sindicais exigiram do banco o agendamento das reuniões por local de trabalho, para expor aos bancários os impactos da Reforma Trabalhista para a categoria. Na oportunidade, a diretora Ana Fideli também entregou aos representantes do banco o livro Vidas do Itaú, projeto realizado pelo Sindicato em parceria com o Instituto Declatra, que tem como objetivo combater o assédio moral e discutir políticas de prevenção (saiba mais aqui). 

    Avaliação
    Os representantes do banco informaram que o Itaú preza pelo diálogo e se comprometeram a levar todas as reivindicações à direção do banco. “Nós também prezamos pelo diálogo, desde que seja para a solução ágil e efetiva dos problemas dos trabalhadores. Agora, vamos cobrar que o banco apresente respostas para cada uma das reivindicações”, avalia Ana Fideli. "Apesar das respostas evasivas em relação à aplicabilidade da Reforma Trabalhista, ficou evidente que o Itaú aguarda para agir de acordo com as demais instituições financeiras. Eles também reconhecem os esforços empreendidos na construção da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria bancária, que é a única no país a contemplar todos os bancos e bancários", finaliza.
    Renata Ortega SEEB Curitiba