Caixa Econômica

  • 13/11/2017

    Entidades reagem à revogação do RH 151

    Na prática, mudanças acabam com a incorporação de função

    Os empregados da Caixa Econômica Federal foram surpreendidos nesta sexta-feira (10) com mais um ataque da direção do banco: a revogação do RH 151 e alterações no RH 184. Na prática, as mudanças acabam com a incorporação de função. Segundo a empresa, o objetivo é se adequar à Reforma Trabalhista, mas a iniciativa ocorreu um dia antes da entrada em vigor da lei, neste sábado.

    Entidades representativas já reagiram à decisão. Entre elas, a Fenae. “Já estamos estudando uma ação coletiva para assegurar, no Judiciário, os direitos dos trabalhadores. Esse é um reflexo da nefasta ‘deforma’ da CLT e mais um desrespeito com a categoria. Daremos mais informações nos próximos dias”, afirma o presidente da Federação, Jair Pedro Ferreira.

    A CEE, que assessora a Contraf-CUT, enviou ofício à direção da Caixa nesta sexta-feira. No documento, manifesta contrariedade com a revogação do RH 151 e as alterações do RH 184, solicita o restabelecimento dos normativos e cobra informações sobre os motivos e as consequências da medida.

    Fenae