Caixa Econômica

  • 22/02/2018

    Gestão que adoece e mata: Sindicato expõe descaso da Caixa

    Ato protestou contra atual método de gestão, expondo número de suicídios de empregados do banco.


    Fotos: Daiane Pucci/SEEB Curitiba

    O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região realizou, na manhã desta quinta-feira, 22 de fevereiro, um ato em frente à Caixa Econômica Federal da Praça Carlos Gomes, para sensibilizar a população sobre o descaso da direção do banco com as atuais condições de trabalhado dos empregados. Uma enorme faixa contabilizando os cinco suicídios de bancários que aconteceram nos últimos três anos chamou a atenção da população. Também foram lançados ao céu mil balões pretos, simbolizando o luto da categoria.



    Além dos casos fatais, o Sindicato tem acompanhado cotidianamente o adoecimento do quadro de funcionários da Caixa. Em consulta realizada em 2017 pela entidade, 21% dos empregados que responderam ao questionário declararam já terem sido vítimas de assédio moral no banco e mais de 20,7% confirmaram estar fazendo uso de medicação controlada. Um grande número de afastamentos por adoecimento do trabalho também tem sido contabilizado.

    “Todos sabemos as causas da trágica realidade dos empregados da Caixa: uma gestão que prioriza o lucro à vida e à saúde, que incentiva aposentadorias e não promove a reposição dos quadros, que não contrata trabalhadores, mas aumenta a carga de trabalho diariamente”, resume Genesio Cardoso, dirigente sindical. “Mas, mesmo diante de todas as nossas denúncias, a direção do banco parece não estar disposta a estancar os problemas”, conclui.

    Saiba mais:
    Em 2017, Caixa desligou 279 bancários em Curitiba e região

    MPT investiga casos de suicídios na Caixa

    Trabalho que adoece e mata: 5 suicídios em 3 anos

    Renata Ortega SEEB Curitiba