Caixa Econômica

  • 20/06/2018

    Bancários realizam ato em defesa do Saúde Caixa

    Mobilização reuniu entidades e trabalhadores em frente à Agência Carlos Gomes.

    Fotos: SEEB Curitiba

    Empregados da Caixa Econômica Federal de todo o Brasil estão mobilizados, nesta quarta-feira, 20 de junho, em defesa do Saúde Caixa. O Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região, juntamente com a Apcef-PR, Agecef-PR, Fenag e AEA, realizou um ato, às 12h00, em frente à Agência Carlos Gomes, no Centro da capital paranaense. Os trabalhadores do centro administrativo Sede 1 também foram convidados a integrar à mobilização. 

    Vestidos de branco, com cartazes da campanha "Saúde Caixa: eu defendo!", os empregados protestaram contra as medidas propostas pelo Governo Temer, por meio da Resolução n. 23 da CGPAR, para redução de despesas com os Planos de Saúde de auto gestão das empresas estatais. Desde 2004, a Caixa paga 70% das despesas assistenciais do plano e os usuários os outros 30%. As resoluções governamentais e a recente alteração no Estatuto da Caixa propõem um limite correspondente a 6,5% da folha de pagamento para a participação da Caixa nas despesas. As novas regras também permitem prazos de carência, limitam a adesão de dependentes, excluem os aposentados, entre outros retrocessos.



    João Paulo Pierozan, representante dos empregados na CEE/Caixa, lembrou que as negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2018 começam na próxima semana, juntamente com as negociações específicas com a Caixa. "Os riscos ao Saúde Caixa são muitos e, por isso, precisamos estar unidos para fazer o enfrentamento e pressionar as negociações", destacou o dirigente sindical.

    Clarice Weisheimer ressaltou que os Planos de Saúde de auto gestão são os melhores, uma vez que não visam ao lucro. "Enquanto um Plano de Saúde do mercado visa ao lucro sobre o adoecimento, os de auto gestão revertem seus rendimentos em melhorias no próprio plano, beneficiando seus usuários", resumiu. A dirigente sindical destacou também a importância do princípio da solidariedade, que garante que todos tenham a mesma assistência médica. "Se os aposentados são os que mais utilizam o plano, temos que lembrar que eles contribuíram durante toda sua vida saudável para isso. Já os mais jovens, embora possuam mais dependentes, são saudáveis e usam pouco o plano", explicou. 

    Karla Huning, secretária-geral do Sindicato, lembrou que a categoria bancária é uma das que mais adoece em virtude do trabalho e que o direito ao Saúde Caixa, inclusivo e solidário, é uma conquista dos trabalhadores. Já o dirigente sindical Antônio Luiz Fermino destacou que a mobilização em defesa do Plano de Saúde é nacional e que é fundamental a luta coletiva para encontrar uma saída diante dos ataques aos trabalhadores. 

    "É fundamental que tenhamos muita unidade neste momento, para defender os interesses dos empregados da Caixa e também, indiretamente, defender os interesses de toda a sociedade. Nesta campanha salarial, iremos defender o futuro da categoria bancária e, sem dúvida, a defesa da saúde é primordial nesse contexto. E o Sindicato não irá se furtar desta luta!", finalizou o presidente do Sindicato, Elias Jordão.    
    Renata Ortega SEEB Curitiba