Banco do Brasil

  • 10/09/2018

    Vote NÃO! Presidente da Cassi e diretor Satoru não convencem

    Em visita à Curitiba, defensores da proposta dão respostas evasivas e escassas.

    Foto: SEEB Curitiba

    Na noite do dia 05 de setembro, o diretor eleito de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi Luiz Satoru Ishiyama esteve em Curitiba, na AABB, para apresentar a proposta da Caixa de Assistência, sob seu ponto de vista. Após sua fala, que destacou as mudanças financeiras e estruturais, foi aberto espaço para perguntas e intervenções.

    Compareceram ao evento cerca de 160 pessoas, entre gerentes convocados pelo Banco do Brasil, administradores e aposentados. Alguns delegados sindicais, o dirigentes e membro do Conselho de Usuários Alessandro Garcia (Vovô) e a representante do Paraná na Comissão de Empresa, Ana Paula Busato, também estiveram presente.

    Já na manhã da última quinta-feira, 06 de setembro, a Cassi organizou outro evento, desta vez no Cenop Estação, para que Satoru e Luís Aniceto Silva Cavicchioli, presidente da Caixa de Assistência, defendessem novamente a proposta diante dos funcionários.

    Antes do evento, ao chegarem no local, os dirigentes do Sindicato – que também são funcionários do Banco do Brasil, associados da Cassi e membros do Conselho de Usuários, além de representantes eleitos pelos bancários – foram arbitrariamente barrados. A entrada só foi liberada após 30 minutos.

    Após a fala de Satoru e Cavicchioli, ficou evidente que os representantes da Cassi não estavam com disposição de ouvir as opiniões divergentes. Somente depois da reclamação de um dos funcionários, abriu-se a fala para três pessoas, dentre elas os dirigentes sindicais Vovô e Ana Smolka.

    Os representantes dos bancários questionaram a proposta da Cassi, a quebra de solidariedade e a cobrança por dependentes. Também alertaram sobre possíveis saídas para a crise, destacando as propostas apresentadas pelo diretor eleito de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes, Humberto Santos Almeida, pela Contraf-CUT, pelo Conselho de Usuários e demais entidades.

    “Na nossa avaliação, as respostas dadas por Satoru e Cavicchioli foram evasivas e escassas. Tal postura só nos confirma que a proposta da Cassi é inconsistente e que nenhuma das outras propostas apresentadas foram sequer avaliadas. Isso reafirma nossa posição e de todas as entidades, bem como do diretor eleito Humberto, pelo voto NÃO na alteração do estatuto. Exigimos que se abram as negociações!”, destaca Alessandro Garcia (Vovô).
    SEEB Curitiba