Opinião

  • 29/12/2017

    Balanço do mandato na Diretoria de Saúde da Cassi

    Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento atuou para fortalecer a Cassi
    Olá prezad@s associados e companheir@s de lutas em defesa dos direitos dos trabalhadores.

    Estamos terminando o ano de 2017 e, em nosso caso, estamos completando o 4º ano de atuação como gestor eleito pelos trabalhadores da ativa e aposentados associados à maior e mais antiga autogestão em saúde do país, a nossa Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil.

    Os anos de 2014, 2015, 2016 e 2017 foram os mais intensos de toda a minha vida de representação política da classe trabalhadora a qual pertenço como bancário do banco público mais antigo do país, o Banco do Brasil. Esse mesmo período foi o de maior crise política, econômica e social de nosso país em décadas. O setor da saúde idem, em relação a estar vivendo a maior crise da área em sua história.

    A minha dedicação à Cassi e aos direitos dos associados que represento foi total, exclusiva, e ininterrupta desde o dia 2 de junho de 2014, data da posse no mandato. E afirmo isso com ciência do quanto me dediquei de corpo e alma aos meus mandatos sindicais. E os segmentos políticos das diversas linhas de pensamento sabem o quanto fui abnegado e dedicado às causas dos trabalhadores que representei nesses quase vinte anos de lutas, mesmo quando divergia nas táticas e estratégias de lutas, tinha como objetivo a construção da unidade em prol da classe trabalhadora.

    Meu compromisso com os associados e com a Cassi foi seguido fielmente por mim e por nossos companheir@s eleitos e pela nossa equipe à frente da Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento, área de atividade fim da autogestão responsável pelas políticas e programas de saúde, pelo modelo assistencial (APS/ESF), pelas unidades administrativas nas regiões e pelas CliniCassi, pelos convênios e pela relação com os Conselhos de Usuários.

    Os participantes e usuários da nossa Caixa de Assistência, sobretudo seus representantes e entidades representativas, também tiveram em nossa atuação o esforço em melhorar áreas e serviços nos quais a responsabilidade está a cargo de outras áreas da Cassi. Mas como a gestão é uma só, sempre buscamos contribuir para fortalecer áreas centrais como, por exemplo, comunicação, ou tirar dúvidas e dar orientações adequadas sobre todas as áreas de atuação da Cassi, como rede prestadora de serviços de saúde, as centrais de atendimento e pagamento e outras mais, pois um dirigente precisa saber de tudo um pouco, ao menos para orientar acessos adequados às informações.

    A partir desta primeira postagem de prestação de contas de nossa atuação em defesa dos direitos dos associados e de fortalecimento da Cassi e tudo o que ela significa, vou apresentar alguns números, dados e opiniões sinceras sobre tudo que tem relação com a Cassi e que vivemos neste período. Como eleito, sou um instrumento de luta dos associados, das lideranças e entidades dos associados. Escrevi e prestei contas aos Conselhos de Usuários, sindicatos e entidades associativas ao longo do mandato e escrevo sobretudo para eles.

    Farei essas postagens de balanço pelo respeito absoluto que tenho por cada um e cada uma de vocês que representamos nesses quatro anos. Minha vida de representante político dos bancários é feita com muita dedicação, mas é vivida com muito sofrimento interno, físico e psicológico. Se não fosse o apoio das pessoas e entidades que acreditam em nosso trabalho, já teríamos quebrado.

    As pessoas podem imaginar, mas não daria para saber o que enfrento de ataques, de baixarias e arbitrariedades, de desgostos por ser tão aguerrido na defesa dos associados que represento. Enfrentar o poder instituído traz consequências. Mas a gente sofre esses ataques ao longo do nosso trabalho com a resistência de quem sabe que está fazendo o correto em nome da causa que defende e representa.

    Ao fazer um balanço de nossa atuação na Diretoria que é responsável pelo modelo assistencial (APS/ESF) da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil e também responsável pelas unidades próprias(administrativas e assistenciais)nas regiões do país, achei interessante começar por uma retrospectiva de nosso trabalho junto aos Estados do Norte.

    A região Norte é a de maior extensão geográfica do Brasil, cobre 45% do território nacional, tem mais de 17 milhões de habitantes, e tem o segundo menor IDH do país, superando apenas o do Nordeste. Isso já sinaliza questões básicas: há carência de estruturas sociais como saneamento básico, vias de deslocamento, e... carência de rede hospitalar e de profissionais de saúde. É composta pelos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. (IBGE/Wikipedia)

    A Cassi está presente em todas as capitais da região Norte, onde temos uma unidade administrativa e uma unidade de atendimento à saúde, nossa CliniCassi. A comunidade Banco do Brasil e Cassi tem mais de 25 mil associados na região Norte. A promoção de saúde e prevenção de doenças, através da Atenção Primária à Saúde (APS) e Estratégia Saúde da Família (ESF) é fundamental na região para os participantes da ativa e aposentados e seus familiares. Mesmo com todas as dificuldades geográficas e estruturais, a Cassi tem mais de 9.700 participantes cuidados na Estratégia Saúde da Família. Sem esse acompanhamento, as condições de saúde da população e as despesas básicas seriam bastante agravadas pelo uso inadequado da rede prestadora.

    A Caixa de Assistência é autogestão, é entidade de saúde de trabalhadores, organizada em modelo de custeio mutualista intergeracional e solidário, e sempre esclareço aos usuários e intervenientes do sistema de saúde Cassi essas premissas do que somos. A Cassi é especial e diferente de outras operadoras de saúde do mercado privado. Nosso foco é cuidar de pessoas e não obter lucro com negócios de saúde/doença. Nós vamos aonde estão os trabalhadores da ativa e aposentados do Banco do Brasil. Isso já traz consequência na sustentabilidade e no equilíbrio econômico-financeiro da operadora.


    OUVIR A BASE, PRESTAR CONTAS E EXPLICAR COMO AS COISAS SÃO NA ÁREA DA SAÚDE SUPLEMENTAR É PAPEL DE UM DIRETOR ELEITO

    Como gestor eleito pelos associados da Cassi, tive como premissa não me afastar das bases sociais que represento, além de formalmente ser o gestor das unidades Cassi no país. Também sou da Diretoria vinculada à relação com os Conselhos de Usuários, que existem a partir das unidades estaduais. Logo que cheguei à gestão em junho de 2014, defini como estratégico fortalecer a participação social, através de uma agenda permanente junto aos sindicatos, entidades associativas, Conselhos de Usuários e unidades do Banco do Brasil. A Cassi era uma desconhecida de seu público e lideranças e eu tinha que atuar para mudar essa realidade.

    Essa definição de trabalho na gestão me trouxe alegrias e dificuldades. Para um dirigente com minha formação política, nada é mais gratificante que estar junto aos associados e usuários, junto às lideranças e entidades, e junto aos funcionários das unidades que administro. Acredito que tod@s perceberam que atuei de forma republicana com todas as entidades e representações dos participantes.

    Por outro lado, para ter feito um mandato junto às bases, foi necessário trabalhar ao longo dos 4 anos em jornadas triplas - manhã, tarde, noite -, porque as demandas na sede já são gigantes e exigem muito estudo, leituras e debates. Só atuando em tempo integral o mês todo foi possível conciliar a presença nas unidades e o conhecimento que adquiri estudando muito a Cassi e tudo relativo à gestão em saúde. (alguns adversários políticos e burocratas tentaram dizer que o diretor só trabalha em dia de reunião de diretoria... é lamentável, mas faz parte da democracia)

    Enfim, apresento abaixo um resumo de nossa presença nesses 4 anos junto aos participantes e unidades Cassi nos Estados do Norte. Sempre que possível, estivemos com os Conselhos de Usuários, visitamos as entidades representativas como sindicatos, entidades de aposentados, visitamos órgãos do Banco do Brasil como Super e Gepes, falamos com os Sesmt, e sempre fizemos reuniões de gestão com os funcionários da Cassi, para mostrar dados, orientar, ouvir etc. Aliás, foi o que mais fizemos nesse trabalho: prestar contas, ouvir reclamações, sugestões e propostas, esclarecer e pedir apoio ao modelo assistencial e mobilização em defesa da Cassi e dos associados.


    CASSI ACRE - 3 agendas de gestão

    2015 - Estivemos no Estado para a Conferência de Saúde, e agendas com o BB, entidades, Conselho de Usuários e reunião com funcionários.

    2016 - Cumprimos agenda da Diretoria de Saúde em buscar parcerias para fortalecer a Cassi junto à comunidade local. Visitamos o Banco, o Conselho de Usuários e fizemos reunião de gestão.

    2017 - Estivemos na Conferência de Saúde, e cumprimos agendas para fortalecer a participação social e o modelo assistencial APS/ESF.


    CASSI AMAPÁ - 3 agendas de gestão

    2015 - Contribuímos para a instalação do Conselho de Usuários e a 1ª Conferência de Saúde do Estado.

    2016 - Cumprimos agenda da Diretoria de Saúde em fortalecer a ESF e a utilização da Cassi pelos participantes do Estado. Visitamos entidades e lideranças, o Banco e fizemos reunião de gestão.

    2017 - Além da participação na Conferência de Saúde, também cumprimos agenda de fortalecimento da relação Cassi e comunidade local.


    CASSI RORAIMA - 4 agendas de gestão

    2015 - Participamos da Conferência de Saúde.

    2015 - No final daquele ano, voltamos à Unidade para agenda de gestão. Após processo seletivo para gestores de unidades, em nível nacional, feito entre 2014/15, estávamos atuando na melhoria de gestão das unidades.

    2016 - Cumprimos agenda da Diretoria em fortalecer a relação da Cassi com os órgãos do Banco do Brasil e com as representações da comunidade no Estado.

    2017 - Além da Conferência de Saúde, fizemos reuniões com o Conselho de Usuários, Banco, Sindicato.


    CASSI AMAZONAS - 4 agendas de gestão

    2015 - Participação na Conferência de Saúde

    2015 - Voltamos ao Estado para agenda de gestão, com nova gerência e fortalecimento das relações com a comunidade BB e Cassi.

    2016 - Foi o ano em que o planejamento de nossa Diretoria era fortalecer a relação com o Banco do Brasil nos Estados, até porque temos convênios com o patrocinador como, por exemplo, de saúde ocupacional. Em todos os Estados, essa agenda foi muito positiva para todos.

    2017 - Participação na Conferência de Saúde


    CASSI RONDÔNIA - 3 agendas de gestão

    2014 - Contribuímos para a reinstalação do Conselho de Usuários da Cassi no Estado. O desejo e apoio da Diretoria de Saúde e com a bela participação de lideranças de Rondônia e Amapá, e dos funcionários da Cassi, conseguimos em 2014 completar 100% de Conselhos de Usuários no Brasil, nos 26 Estados e DF.

    2016 - Realizamos a agenda de parcerias Cassi e Banco do Brasil nos Estados, um planejamento da Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento para aquele ano. Também tivemos o início de nova gerência na Unidade.

    2016 - Voltamos no segundo semestre ao Estado para a Conferência de Saúde.


    CASSI PARÁ - 2 agendas de gestão

    2014 - Estivemos no Estado para a Conferência de Saúde da Cassi e Conselho de Usuários. Naqueles primeiros meses de mandato, eu fiz um esforço grande para ir a todas as Conferências e consegui participar de 9 das 10 que ocorreram naquele ano.

    2016 - Além da participação na Conferência de Saúde, fizemos uma agenda muito positiva de visitas às entidades e lideranças locais. Fomos ao Sindicato, ao Banco, AAFBB, nos reunimos com o Conselho de Usuários e fizemos reunião de gestão com funcionários.


    CASSI TOCANTINS - 2 agendas de gestão

    2015 - Estivemos em agenda de gestão na Unidade, com posse de nova gerência e fortalecimento das relações com lideranças locais da comunidade Banco do Brasil.

    2016 - Estivemos na Conferência de Saúde e cumprimos uma agenda de fortalecimento da Cassi junto ao Banco, nas parcerias de saúde ocupacional e apoio à ESF. Nos reunimos com o Conselho de Usuários e reunião de gestão na Unidade.


    AGENDA FORTALECEU A CASSI, A PARTICIPAÇÃO SOCIAL E A RELAÇÃO COM A COMUNIDADE DO NORTE

    Neste período entre 2014 e 2017, fizemos um grande esforço em estar na região de maior extensão geográfica do país. Juro que foi difícil, mas foi muito gratificante. Valeu a pena conhecer as pessoas, as dificuldades reais que a comunidade BB enfrenta no dia a dia e, como gestor, foi fundamental para me dar subsídios na defesa das unidades e dos associados nas discussões na sede em Brasília.

    Com todas as dificuldades que enfrentamos, tivemos humildade e firmeza nos propósitos. Quando começamos o nosso trabalho de representação na Cassi, tivemos que superar algumas desconfianças de forças políticas que não nos conhecia, mas fico feliz de ter hoje uma relação de muito respeito com todas as lideranças de cada Estado onde a Cassi está.

    Sem o apoio de entidades representativas, eu não teria conseguido ir 21 vezes às unidades do Norte para realizar da melhor forma o nosso trabalho de gestor de saúde eleito pelos associados da Cassi. Foram 13 Conferências de Saúde, Agenda de Parcerias nos 7 Estados, 11 reuniões com os Conselhos de Usuários. Diversas oportunidades de falar da Cassi e da ESF e da promoção e prevenção.

    Várias foram as maneiras de cumprir nossa agenda de defesa e fortalecimento da Cassi e dos associados nos Estados. Nos momentos mais difíceis, fui por conta própria, e fiz isso porque a Cassi e os direitos dos associados se transformaram em um causa, em uma militância para mim. Enfim, o intuito sempre foi o de tratar a região Norte exatamente como as demais regiões do país.

    É isso, esse é um breve balanço de nossa gestão em relação às unidades Cassi na região Norte do país.

    Peço aos participantes que nos leram que compartilhem nosso balanço, se possível. Estou fazendo esse trabalho porque acredito que nós todos - equipe Cassi, Banco do Brasil, associados, participantes e entidades representativas - conseguimos superar grandes dificuldades nesse período, inclusive do mercado e da crise brasileira. Todos ganharam com isso. A Cassi é um imenso patrimônio da comunidade Banco do Brasil.

    Abraços a tod@s,

    William Mendes
    Diretor de Saúde e Rede de Atendimento (mandato 2014/18)
    William Mendes Blog A Categoria Bancária

Articulista

#@titulo@# William Mendes Diretor de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi.

Artigos Relacionads

Nenhum registro encontrado.

Últimos artigos